quinta-feira, 31 de julho de 2014

Desvendando a Comunicação Integrada de Marketing (CIM)



Você já deve estar cansado de ouvir falar em comunicação, marketing, publicidade, propaganda, promoções... Mas sua empresa utiliza corretamente todos esses meios para se comunicar com seus clientes? Se sua resposta foi um sim, você deve estar atento se a mensagem enviada é a mais assertiva para ter bons resultados.

A comunicação integrada de marketing (CIM) veio para auxiliar a melhor forma de passar a mensagem para seus públicos de interesse, ao qual facilita o entendimento de onde sua empresa quer ir e com quem quer manter seus negócios.

Conforme Schultz, Tannenbaum e Lauterborn (1994), “uma nova maneira de se olhar para o todo, lá onde há algum tempo víamos apenas partes distintas, tais como propaganda, relações públicas, promoções de vendas, compras, comunicação de empregados e assim por diante. É um realinhamento das comunicações a fim de observá-las do mesmo modo como o cliente vê – como um fluxo de informação proveniente de fontes indistinguíveis”.

Ou seja, falar da mesma forma padronizada e “entendível” para todos os canais da empresa, passando a mesma mensagem para funcionários, clientes, fornecedores e a sociedade como um todo. Parece simples, mas muitas empresas ainda cometem o erro de não padronizar sua comunicação, perdendo grandes oportunidades e reconhecimento dos seus trabalhos.

Ainda me deparo com empresas que usam sua marca de qualquer jeito, qualquer cor, qualquer posição, entre outros; sem perceber que desta maneira só estão jogando seu dinheiro fora.

Uma grande ressalva é a importância de ter um marketing ativo a esses detalhes que são essenciais para o sucesso no alcance das metas estipuladas. Por exemplo, ter um site de um formato passando uma mensagem e atingindo um público específico; e ao mesmo tempo fazer um catálogo que passa outra mensagem, atingindo outro público é um desperdício de investimentos. Quando se faz esse tipo de comunicação à empresa acaba ficando sem foco e não integrando a mensagem como um todo. Isso faz com que a empresa tenha maior dificuldade em chegar aos seus resultados e também deixa de trabalha sua marca e seu posicionamento de mercado.

Outro exemplo bem comum são empresas que fazem campanhas e se esquecem de trabalhar as equipes internas, deixando uma falha na comunicação. Com isso, a campanha não trará o retorno esperado, pois os clientes podem ficar encantados com as mensagens feitas, mas quando se depararem com uma equipe despreparada, acabam desconfiando do que foi proposto pela empresa.

Então quando falamos em CIM temos que pensar em comunicação administrativa, comunicação interna, comunicação mercadológica e comunicação institucional. É necessário abranger a comunicação como um todo, assim teremos mais êxito nas ações de marketing. E com isso, um melhor trabalho de posicionamento e reconhecimento da marca.

Nada melhor que falarmos e sermos compreendidos em nossas mensagens. O mundo empresarial esta carente de clareza em sua comunicação, pois uma mensagem correta faz toda a diferença para sua marca estar ou não no mercado, bem como conquistar clientes.

Precisando renovar sua comunicação? Fale conosco.
Por Silvia Regina - SR Comunica
Confira esse artigo na Revista Vitrini

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Tenha as pessoas certas para decolar


No artigo anterior falamos de como estipular as metas e medir os resultados alcançados. De como é essencial para qualquer profissional saber o que se espera dele e como gerar estímulos para a busca constante de bons resultados. Os desafios em grupo e os individuais sempre ajudam a empresa a se desenvolver no mercado.
Podemos abordar agora como identificar os indivíduos essenciais para a sua empresa ter sucesso e logicamente conhecer as pessoas que nadam contra sua maré.
Para determinar e conhecer quem são os colaboradores que podem levar as mudanças organizacionais há um caminho saudável, pergunte e analise quem tem o poder de executar ou romper as mudanças. Quem são os “líderes” que controlam os recursos críticos ou a expertise. É importante analisar como cada um reage às mudanças e novas metas propostas do planejamento estratégico.
É imprescindível saber quem são os grupos que podem ser mobilizados contra os esforços de mudanças e os que irão apoiá-lo.
Lembre-se: trabalhar com pessoas sempre envolve perfis diferentes. Estamos envolvidos com convicções distintas, egos, sentimentos, caráter e o mais falado, a motivação individual.
Para que você implante mudanças com sucesso é necessário que haja controles contínuos e mensuráveis. Resultados eficazes só vêm com muito trabalho e persistência.
E quando a empresa conquistar alguma mudança efetiva, não deixe de comemorar com suas equipes. Esse reconhecimento ajudará a todos para continuar buscando melhorias de crescimento na empresa e no perfil de cada profissional envolvido.
A comunicação ainda continua sendo a ferramenta essencial para qualquer implantação, então mantenha ela bastante clara.
Quer posicionar ainda mais sua marca no mercado? Fale conosco.
srcomunica@srcomunica.com

terça-feira, 1 de julho de 2014

Medidas e desempenho das equipes.



Se estabelecer metas e planos para almejar resultados é importante para a vida saudável da empresa; Medir se faz essencial para manter o controle e eficácia do negócio.
Medir constantemente o desempenho das metas alcançadas é imprescindível para quem deseja ter equipes comprometidas.
Existem várias ferramentas para a mensuração do desempenho em sua empresa. As medidas financeiras ainda são as mais conhecidas e aplicadas. Os indicadores de desempenho são práticos de acompanhar e fáceis de medir. As mais utilizadas são as receitas de vendas, vendas por funcionário, lucro bruto, margem de lucro, retorno sobre o capital investido e também o retorno sobre os ativos.
É importante os gerentes terem em mente que medir diversos setores na empresa se faz necessário para um bom resultado final. Cada setor dentro da organização deve ter suas medidas. No marketing, por exemplo, é muito importante medir as ações específicas, os trabalhos e resultados de vendas, participação de mercado, pesquisas, novos contatos e prospecções, entre outros canais.
Na produção deve se ter as medidas de eficiência, qualidade, processos, entre outros. Nos recursos humanos, temos a medida em treinamentos, conhecimentos, rotatividade de funcionários, satisfação interna, regulamentação, remuneração, entre outros.

Lembre-se: qualquer que sejam as medidas aplicadas para suas equipes, deve se ter medidas claras e que possam ser mensuráveis, viáveis, específicas, realistas e com seu tempo determinado.